Dicas para receber um gatinho em casa

Pets

Receber um gatinho filhote em casa é um momento incrível na vida do tutor, mas é importante ter atenção com alguns pontos para um início de vida saudável

Gatos são famosos por seu estilo peculiar e quando filhotes são ainda mais encantadores. Entretanto, precisam de atenção e cuidados próprios para um desenvolvimento sadio. Por isso, é importante lembrar que a adoção ou aquisição de um gatinho não pode ser uma decisão tomada por impulso. O tutor deve se perguntar, principalmente, se ele possui tempo o suficiente em sua rotina, se está disposto a ter um compromisso que pode durar anos e, por fim, se possui condições financeiras para receber o pet. Pesquisar sobre a espécie felina e possíveis perfis de raças (caso seja esta a opção) também faz parte desse processo prévio. Ainda é importante, antes de trazer o novo animalzinho para casa, realizar a adaptação do ambiente: organizar a casa e pensar em como acomodar o gatinho para deixá-lo o mais confortável e seguro possível, como, por exemplo, instalando telas de proteção em grades e janelas. Passado isso, o tutor estará pronto para a próxima fase: chegada e adaptação do filhote em seu novo lar.

Para auxiliar os tutores nesse processo, a Médica-Veterinária Natália Lopes, Gerente de Comunicação Científica da ROYAL CANIN® e Representante do Centro de Nutrição e Bem-estar WALTHAM™ no Brasil, preparou algumas dicas. Confira:

• Recebendo o gatinho

Independente se você encontrou seu gatinho na rua, adotou de um abrigo ou comprou de um criador responsável, os primeiros contatos são essenciais e influenciarão o relacionamento entre tutor e pet. Por isso, planeje recebê-lo no momento em que possa passar um tempo com ele, já que esse período de mudanças pode ser estressante para o animal. Uma dica é tentar não assustar o filhote com sua animação durante esse período de adaptação. Prepare um ambiente dedicado a ele, que seja calmo e confortável.

• A primeira visita ao Médico-Veterinário

É importante o tutor ter em mente que o acompanhamento com o Médico-Veterinário deve acontecer desde cedo, quando o animal ainda é filhote, para os protocolos de vacinação e, na sequência, o acompanhamento de seu desenvolvimento, sendo a frequência ideal durante a infância a ida ao Veterinário a cada 6 meses.

A sugestão é buscar por profissionais que sejam especializados no atendimento de felinos e que atendam em clínicas com ambientes adaptados para receber a espécie, ainda nas primeiras 48 horas da chegada do gatinho em casa, e antes do contato com outros animais.

• O dia a dia do seu gatinho

Gatos costumam ser bastante higiênicos e, por isso, preferem que sua caixinha de areia fique distante de seus potes de alimentação e água. É necessário ter, no mínimo, duas tigelas, uma para o alimento e outra para que a água fresca seja fornecida constantemente. Uma fonte de água corrente pode substituir o pote e será um estímulo adicional para que o gatinho beba mais água.

• O momento do sono

Outro ponto importante é o momento do descanso, pois gatinhos filhotes geralmente tendem a ter a necessidade de dormir mais. Ele, provavelmente, escolherá locais na casa para dormir, por isso é interessante disponibilizar caminhas com cobertores, almofadas e travesseiros. Apenas lembre-se que todos os cômodos precisam estar aptos para ele, portanto esconda fios elétricos e coloque barreiras em locais de risco, evitando que o gatinho tenha acesso a eles.

• Brincadeiras no começo da vida

Brincadeiras são ótimos estímulos para o aprendizado, a socialização e garantem a atividade física para o gatinho, portanto devem fazer parte de sua rotina. Procure brinquedos específicos para filhotes de gatos, que são adaptados para atender às suas necessidades de atividade e seu tamanho, além de serem mais duráveis e seguros.

Procure opções de postes ou tapetes de arranhar e incentive o uso borrifando produtos a base de catnip, a erva de gato. Com isso, o tutor pode tirar a atenção do felino das cortinas e sofás da casa.

• A adaptação do gatinho vem com o tempo

O gatinho filhote pode chorar um pouco nas primeiras noites, já que houve uma mudança brusca de sua rotina. Por isso, lembre-se de escolher um cômodo silencioso para acomodá-lo nos primeiros dias e deixe no local sua caixinha de areia, para facilitar o treinamento, e os potes de alimentação e água. Com o passar do tempo, o gatinho se sentirá mais confiante para explorar novos ambientes.

Queremos saber sua opinião sobre esta matéria