Hospital Paulista alerta para importância de levar criança ao Otorrino

Kids Saúde


Especialistas explicam sintomas que auxiliam na identificação de problemas mais graves

Como parte das ações que marcam os 47 anos do Hospital Paulista, celebrados em 25 de abril, a Instituição realizou uma Live no último dia 23 de abril, em parceria com a revista Pais & Filhos, sob o tema “Quando levar a criança ao Otorrinolaringologista?”.

O evento virtual contou com a presença dos especialistas Gilberto Ulson Pizarro e Renata Christofe Garrafa, ambos otorrinolaringologistas do Hospital, e foi transmitido pelas redes sociais da revista (Instagram, Facebook e YouTube).

Na ocasião, o bate-papo entre os médicos abordou importantes questões que envolvem a prevenção de infecções de ouvido, nariz e garganta nas crianças, principalmente em bebês, que não são capazes de expressar suas dores.

Eles também explicaram como identificar e diferenciar uma crise de asma ou alergia de uma Covid-19, por exemplo, uma vez que as patologias têm sintomas parecidos; e como agir em casos de acidentes domésticos, quando a criança introduz algum objeto no nariz ou no ouvido.

Para a primeira questão, o principal sintoma que difere as enfermidades é a febre, que, no caso da Covid, é um dos principais indícios, diferentemente de uma crise de rinite. No caso da introdução de um objeto no nariz ou no ouvido, eles recomendaram auxílio médico imediato, uma vez que o incômodo pode ser agravado caso os pacientes tentem removê-lo com produtos caseiros, aprofundando ainda mais o objeto.

Os profissionais ainda exaltaram a importância da especialidade para a formação da criança, uma vez que o otorrino trata questões respiratórias, tão importantes para a qualidade de vida. E pediram atenção redobrada às que roncam demais e àquelas que apresentam nariz entupido com frequência.

Dra. Renata ressaltou a audição como fator de extrema importância também, já que a criança pode perder informações importantes no princípio de seu desenvolvimento intelectual, caso esteja apresentando dificuldades para ouvir. “A audição é um fator crucial no desenvolvimento humano. Em qualquer suspeita de que a criança não está ouvindo bem, leve-a imediatamente ao médico. Esse é um fator emergencial.”

A médica complementou com um alerta às infecções de repetição, como amidalite, otite e resfriados constantes, que podem significar a necessidade de uma visita ao otorrino.

Progresso da especialidade

Dr. Gilberto abriu a Live destacando as principais conquistas do Hospital Paulista ao longo dos anos, criando um paralelo entre a importância da Instituição e o progresso da especialidade de Otorrinolaringologia.

Segundo ele, os dois evoluíram juntos. “O Hospital Paulista foi criado por nove sócios que tiverem a visão de futuro de que a Otorrinonalingologia não ia ficar exclusivamente dedicada a uma pequena parcela de atendimento. Ao longo destes anos, fomos montando subespecialidades e, a partir delas, criados ambulatórios especiliazados”, contou.

Entre os diferenciais oferecidos pelo Hospital, conforme o especialista, está o atendimento ambulatorial realizado de forma humanitária, para atender competências como Otorrino Pediatria, Fonoaudiologia, Alergia Respiratória e Imunologia e Distúrbios do Sono, além de procedimentos para Cirurgia Cérvico-Facial e Buco Maxilo Facial. Por fim, mencionou o ambulatório especializado em Olfato e Paladar, que hoje tem como foco o atendimento pós Covid-19, demanda que surgiu para recuperar pacientes com sequelas da doença, como perda de olfato e paladar.

Aos que perderam a Live poderão conferi-la por meio das redes sociais da revista Pais & Filhos e do Hospital Paulista.

Comente sobre esta matéria ;)