Destinos no Japão para admirar belas paisagens e interagir com a fauna local

#AgitoSP Viagens: Internacional Viagem & Turismo

Animais selvagens podem ser visitados em diversos locais no país vivendo livres na natureza e convivendo com o respeito da sociedade

O Japão é muito conhecido por seus templos, parques e cidades cosmopolitas que transpiram tecnologia. Porém, o país também é conhecido pelo seu respeito e admiração à natureza. No arquipélago, há locais em que é possível, não só admirar as belas paisagens e entrar em contato com essa cultura, mas também conhecer sua fauna e compreender o convívio harmônico com os animais. 

A Organização Nacional do Turismo Japonês (JNTO) lista destinos em que é possível ter essa experiência e se encantar com as belezas naturais particulares de cada um. 

Cervos em Nara

A cidade de Nara, na província de mesmo nome, é repleta de atrações turísticas e locais sagrados. A região atrai muitos visitantes, especialmente para o Parque Nara, onde vivem milhares de cervos selvagens. A vasta área tem 660 hectares e os animais passeiam livremente e convivem com os visitantes de maneira harmônica. É possível interagir com os animais e alimentá-los, porém apenas com a comida vendida no local. Além de passear entre os bichinhos, ao transitar pelo parque é possível admirar a linda paisagem que muda de cor e fica especialmente bonita durante a primavera, quando acontece a florada das cerejeiras e, também, no outono com as folhas carmesins que decoram as árvores. 

Há ainda, no local, outras atrações como o Templo Todaiji, com seu Buda de 15 metros de altura e duas imponentes esculturas de oito metros que representam os guardiões do local sagrado; o Santuário Kasuga Taisha com edificações vermelhas e brancas e belas lanternas de latão, acesas no inverno e no verão. Além disso, o Salão do Tesouro Nacional de Kofukuji, com sua coleção de esculturas budistas, é outro ponto que vale a visita.

Mais informações: https://www.japan.travel/pt/destinations/kansai/nara/nara-park-and-around/

Okunoshima, a Ilha dos Coelhos

Localizada na costa de Hiroshima, Okunoshima é lar de graciosos coelhinhos e atrai muitos visitantes para conhecer os peludinhos. Não há como saber exatamente quantos coelhos vivem atualmente na ilha, mas para preservá-los, não é permitido ter cães e gatos no local. 

Há duas histórias que possivelmente explicam a presença deles na ilha. Alguns acreditam que os animais descendem de uma pequena ninhada de oito coelhos soltos por crianças da escola em 1971, enquanto outros acreditam que os bichinhos originais foram usados em experimentos e liberados após a Segunda Guerra Mundial. De qualquer forma, eles são a maior atração da ilha nos dias atuais e recebem muitos cuidados. É permitido interagir, brincar e alimentá-los. Eles estão acostumados ao contato humano. 

Entre as atrações da ilha, além dos coelhos, estão praias belíssimas, locais para acampar e um campo de golfe. Vale a pena a visita também por conta de sua história, que os japoneses fazem questão de manter viva para garantir um futuro melhor. Isso porque,  em 1927, uma fábrica secreta de armas químicas foi construída em Okunoshima, e no final da Segunda Guerra Mundial, cerca de seis toneladas de gás mostarda e gás lacrimogêneo tinham sido produzidos. No local há um museu que conta o passado da ilha e ao redor da ilha também é possível avistar postos militares em ruínas.

Mais informações: https://www.japan.travel/pt/spot/871/

Tashirojima, a Ilha dos Gatos 

Na costa da província de Miyagi, está a Tashirojima. A pequena ilha é famosa por sua população de gatos, que supera a humana no Vilarejo de Nitoda. Historicamente, a presença dos gatos é resultado do desejo da população em se livrar de antigas pragas e os animais foram trazidos para serem guardiões das ruas e das florestas. Os habitantes e os pescadores locais cuidam e alimentam os felinos, que são muito respeitados na ilha. A única regra local em relação aos bichanos é que nenhum cão pode entrar. Além de passear, interagir e fotografar os felinos, Tashirojima proporciona belas paisagens do mar azul ao seu redor. Há também um santuário dedicado aos gatos, no meio de uma floresta. Acredita-se que os gatos proporcionam sorte às pessoas que visitam o local sagrado almejando essa finalidade.

A região é também conhecida como a Ilha do Mangá, pois tem um resort para camping com essa temática em sua extremidade sul.  É necessário reservar a estadia com antecedência, porém, qualquer pessoa pode ir conhecer a divertida arquitetura na área de camping.

Mais informações: https://www.japan.travel/pt/spot/1765/

A Vila das raposas de Zao

Localizada nas montanhas de Shiroishi, província de Miyagi, a Vila das Raposas de Zao proporciona uma experiência emocionante com esses animais que são considerados místicos no Japão. Há diversas histórias folclóricas sobre raposas. Acredita-se que elas são capazes de se transformar em humanos e se divertem pregando peças. Na vila, elas passeiam livremente pela floresta repleta de casinhas que servem de tocas. É possível alimentá-las, fotografá-las e, na primavera, até pegar filhotes no colo com a supervisão dos funcionários do local. A segurança é primordial, então é preciso respeitá-las, afinal, ainda são animais selvagens.

Outra atração da vila é o Santuário Inari, todo em vermelho e protegido por duas estátuas de raposa. O local sagrado é dedicado a Inari Okami, a divindade xintoísta da prosperidade, fertilidade e do arroz, que tem como mensageiro uma raposa.

Mais informações: https://www.japan.travel/pt/spot/1773/

Cavalos selvagens no Cabo Toi

Ainda na província de Miyagi, em Kushima, cavalos selvagens pastam nas colinas do Cabo Toi. Conhecidos como Misaki-uma, são a atração mais famosa do local. A paisagem é exuberante, e ao chegar ao topo das colinas tem-se a impressão de chegar perto do céu,  e ao fundo, bem distante está o mar. Apesar de selvagens, os animais estão acostumados com a presença humana, então é possível se aproximar, mas não é permitido tocá-los ou alimentá-los. 

O farol do Cabo Toi vale a visita. Além de atuar como um ponto de advertência para os navios, oferece vistas incríveis do longo e vasto litoral rochoso. Outro ponto turístico é o Santuário Misaki-jinja, construído sobre a face montanhosa no ano de 708. O local é cercado por vegetação, e o vermelho de sua edificação contrasta com o verde das árvores. Porém, devido a recentes erosões na montanha, não é possível acessá-lo.

Mais informações: https://www.japan.travel/pt/spot/1951/

Parque dos macacos de Takasakiyama

Na cidade de Oita, na província de mesmo nome, um parque especial preserva e ensina sobre os macacos japoneses selvagens, também conhecidos como macacos da neve. Mais de 1.500 primatas vivem no local e vagam pelos terrenos íngremes e arborizados da montanha, em que o parque está localizado. No local, não existem redes e nem jaulas que separem os visitantes dos animais e é possível passear entre eles à vontade. A única regra é: não é permitido tocá-los, alimentá-los e nem olhá-los diretamente nos olhos. Há várias rotas de caminhada pelo parque que permitem chegar perto dos moradores locais. Também há a opção de viajar no monotrilho temático, inspirado nos macacos. O passeio leva os visitantes até o local em que a maioria dos macacos se reúne. 

Mais informações: https://www.japan.travel/pt/spot/699/

Informações sobre viagens

Devido à pandemia, as restrições de viagem estão mudando continuamente e se adaptarão conforme a situação evolui globalmente. A JNTO recomenda visitar seu site para obter as últimas notícias sobre o Japão e as restrições de viagens relacionadas à Covid-19. Acesse: https://www.japan.travel/en/coronavirus/

Comente sobre esta matéria ;)