Qual a diferença entre cuidados intensivos e semi-intensivos?

Cidade

Quem tem um familiar com um problema de saúde que demanda mais atenção fica sempre com o receio de que ele seja transferido para uma unidade de terapia intensiva, popularmente conhecida pela sigla UTI. No entanto, dependendo da gravidade do quadro de saúde, o atendimento pode ser realizado também em uma unidade de terapia semi-intensiva. Mas você sabe qual a diferença entre as duas?

Abaixo você confere a diferença entra essas duas estruturas sob o ponto de vista do tipo de paciente que deve ser cuidado em cada uma delas:

  Unidade de terapia intensiva (UTI)

 

Unidade de terapia semi-intensiva

 

Tipo de paciente atendido Pacientes com quadro clínico crítico e altamente instável. Na maioria das vezes eles necessitam de suporte ventilatório com respiradores e altas doses de medicamentos para controlar a pressão arterial e a frequência cardíaca. Há, ainda, o uso de dispositivos para estabilizar pulmão, coração e rins. Geralmente é realizada diálise para eliminar resíduos e excesso de fluidos do sangue. Pacientes que estão em processo de estabilização ou em estado de saúde não muito grave, mas que requer observação e monitorização contínua. Os pacientes são monitorados para checar pressão, batimentos cardíacos e respiração, mas não fazem uso de medicamentos para manter a pressão ou o fazem em baixas doses e não ficam entubados.

Assistência integrada

Os hospitais da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo oferecem uma infraestrutura e equipes capazes de atender todos os níveis de complexidade. O Hospital BP, por exemplo, o maior hospital da instituição, possui mais de 150 leitos de terapia intensiva, um número bastante expressivo e que é maior do que muitos hospitais do País possuem de leitos totais (e não apenas de UTI). Nas unidades de terapia intensiva do Hospital BP há um sistema completo de monitoramento, com equipamentos modernos e profissionais que garantem a vigilância contínua do quadro clínico dos pacientes.

No BP Mirante, o hospital premium da BP, além dos leitos de UTI há também uma unidade semi-intensiva dedicada exclusivamente ao atendimento de pacientes cardiológicos, a Unidade Cardiológica Intensiva (UCI). “No caso de pacientes com problemas cardíacos, é importante garantir um atendimento rápido, seguro e eficaz e a estrutura da UCI do BP Mirante é um grande diferencial nesse sentido”, salienta Alexandre Soeiro, cardiologista e coordenador da Unidade Cardiológica Intensiva (UCI) do hospital.

No BP Mirante o atendimento às demandas cardiológicas é feita de forma integrada: “sempre que um paciente chega ao nosso Pronto Atendimento com dores no peito ou com uma suspeita de arritmia, por exemplo, ele é imediatamente encaminhado à UCI para os primeiros procedimentos. Lá, ele será avaliado e, se necessário, passará por exames mais detalhados, como o cateterismo, ou até mesmo por intervenções minimamente invasivas como angioplastia, informa Marcelo Sampaio, cardiologista e coordenador do Pronto Atendimento do BP Mirante.

Queremos saber sua opinião sobre esta matéria