Ataques na pandemia reforça importância do uso de antivírus

Tecnologia

Migração para o home office fez ataques dispararem; confira dicas para se proteger e qual foi o antivírus com melhor custo-benefício do mercado

Em tempos de pandemia, muitas pessoas passaram a trabalhar de casa , usando o computador pessoal. Esse movimento também chamou a atenção de criminosos. Um levantamento da empresa de segurança Karspersky mostrou que ataques de vírus usando acesso remoto cresceram 323% de fevereiro para abril. Portanto, escolher um bom antivírus é essencial para evitar roubo, sequestro ou mesmo a destruição de seus dados pessoais armazenados no computador. Por isso, a PROTESTE realizou um teste e mostra as melhores opções disponíveis.

O teste, publicado na revista PROTESTE de outubro, analisou o desempenho de 21 antivírus , entre pagos e gratuitos. As análises dividem os programas entre os que funcionam no sistema operacional da Mac e aqueles que rodam no Windows.

Teste mostra antivírus gratuito como uma boa escolha

Aos que acham que os antivírus são dispensáveis porque os computadores têm defesas próprias, fica o alerta: o teste revelou que estas barreiras não bastam.

No caso do Windows Defender, a pontuação final foi considerada boa, mas um antivírus complementa e dá mais segurança. Já no MacOs, não há qualquer programa nativo de proteção. Ou seja, o aparelho fica muito vulnerável.

O importante é que, embora haja ótimas opções pagas, o teste mostrou que não é preciso botar a mão no bolso para proteger o computador. Isso porque há programas gratuitos em destaque. Acesse a revista e veja o teste na íntegra e qual o antivírus indicado para cada sistema operacional.

Thiago Leite Porto, pesquisador PROTESTE responsável pelo teste lembra que há outros tipos de programas mal-intencionados que atacam os computadores e que eles têm diferentes objetivos.

Tipos de ataques possíveis

Vírus: infecta o sistema do computador e tenta se expalhar para outros dispositivos

• Malware: programa malicioso que se infiltra no computador para causar danos ou roubar informações;

• Spyware: pode coletar informações sem o conhecimento dos usuários do computador;

• Cavalo de Troia (ou Trojan): malware que se disfarça como algo legítimo e útil, sendo, assim, instalado. A partir daí, abre acesso ao hacker;

• Phishing: Este ataque “pesca” informações pessoais por meio de mensagens fraudadas (a exemplo dos e-mails imitando contatos de bancos);

• Ransomware: códigos maliciosos que impedem o acesso aos dados do computador. Para liberá-los exige o pagamento de um resgate (ransom).

A ‘escolha certa’ entre os antivírus

A análise levou em conta fatores como detecção manual de problemas (quando o usuário dá o comando para uma varredura) e a automática (escaneamentos agendados feitos pelo programa), uso dos recursos do computador e facilidade de uso. Assim, o teste considerou o Avira gratuito a escolha certa de antivírus para computadores com sistema operacional Windows. Já para o MacOS, da Apple, a escolha certa fica com o Karspersky, cuja licença anual custava R﹩ 89,90 em julho deste ano.

Para mais informações entre no site da PROTESTE: http://www.proteste.org.br

Comente sobre esta matéria ;)