5 medidas práticas para proteger o local de trabalho

Coronavírus

O novo coronavírus trouxe novos hábitos para a população mundial. E o movimento de retorno ao trabalho presencial é uma questão de segurança para muitas empresas e funcionários. Para a vice-presidente de Pesquisa, Desenvolvimento e Engenharia, Segurança dos Alimentos e Saúde Pública da Ecolab, líder global em soluções e serviços para água, higiene e prevenção de infecções, Ruth Petran, os protocolos de higiene no local de trabalho costumam ser mais fáceis de serem elaborados do que serem seguidos.

“Apesar das regras claramente publicadas, já vi profissionais do setor de Serviços de Alimentação, por exemplo, lavarem, ‘rápido demais’ as mãos nos banheiros – ou nem sequer lavá-las”, analisa Ruth.

Estudo publicado recentemente no Journal of Acute Care and Physical Therapy, constatou que, mesmo em hospitais, a higiene das mãos dos visitantes deixa muito a desejar. Seria de imaginar que em um ambiente hospitalar as pessoas tomariam cuidados adicionais para manter suas mãos livres de germes, mas geralmente não é assim. As taxas de higiene das mãos variam muito, de 0,5 a 11% na entrada principal de um hospital, de 9 a 35% nas unidades de atendimento geral e cirúrgico e de 7 a 94% nas unidades de tratamento intensivo.

Essa inconsistência no comportamento é motivo de reflexão, dado o atual surto da Covid-19. Mas a boa notícia é que existem medidas práticas e gerenciáveis ​​que empresas e pessoas podem adotar, para aumentar a higiene no local de trabalho.

Não importa o ramo de atuação. O mais importante é que empresas e funcionários sigam os mesmos princípios e adotem medidas objetivas e protocolos de prevenção de infecções.

Conheça 5 medidas práticas para proteger o local de trabalho:

1. Informe sua equipe:

Atualmente, todos estão nas mídias sociais e são bombardeados 24 horas por dia, 7 dias por semana, por informações corretas e incorretas sobre o novo coronavírus. Muitas pessoas ainda estão confusas ou desconfiadas do que ouvem. Assuma a tarefa de fornecer informações corretas. 
Informar sua equipe começa por se informar. Acompanhe de perto as comunicações dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, da Organização Mundial da Saúde (OMS) e das autoridades locais de saúde.


2. Concentre-se nas vulnerabilidades e faça um plano:

Forme uma equipe de prevenção de infecções. Encarregue-a de examinar atentamente o ambiente de trabalho, encontrar possíveis áreas de risco e elaborar um plano para solucioná-las. Os problemas variam de acordo com o escritório ou instalação e uma análise metódica e rigorosa dos protocolos já existentes também é fundamental.

Algumas soluções são simples. É fácil desinfetar superfícies tocadas com frequência, como maçanetas, botões de elevador e interruptores de luz, ou fornecer lenços desinfetantes e instalar estações de higienização das mãos. Mas pode haver outras considerações.

Se a maior parte de sua equipe usa transporte público, por exemplo, provavelmente é recomendável prestar ainda mais atenção na manutenção da limpeza de portas externas e na colocação de álcool em gel nas portas de entrada.


3. Treine a sua equipe

Os princípios básicos para manter prevenir infecções virais são bastante simples: lave corretamente e com frequência as mãos e use máscara. Limpe e desinfete as superfícies tocadas com frequência. Fique em casa se estiver doente. Forneça treinamento para garantir que seus funcionários saibam cumprir os protocolos e orientações de higiene em suas atividades diárias.

Selecione os membros da sua equipe de prevenção de infecções que possam ensinar os procedimentos adequados para os demais colegas de trabalho. O protocolo correto de lavagem das mãos, por exemplo, é fácil de aprender. Reunir sua equipe para um treinamento também criará um senso de urgência e compromisso. 


4. Reavalie e melhore: 

Nada é perfeito, certamente não logo no início. É por isso que você deve pedir a seus funcionários, começando por sua equipe de prevenção de infecções, que fiquem de olho em não conformidades. Existem falhas? Você negligenciou algum ponto? Seu plano está funcionando? Isso permitirá que você resolva problemas à medida que avança, realizando melhorias constantes. 


5. Plano para contingências:

E por último, mas não menos importante, é necessário mapear as mais diversas situações e ter um plano de ação para cada uma delas.  O movimento de retorno ao trabalho presencial vem acontecendo de forma gradativa e os gestores devem se perguntar: temos um plano para garantir a continuidade dos negócios de maneira segura? Sabemos o que fazer se um membro da equipe ou um de seus parentes próximos apresentar sintomas da Covid-19? Se isso acontecer, sabemos como desinfetar os espaços de trabalho afetados? Temos um protocolo estabelecido para reabrir?  Perguntar, identificar e se preparar podem fazer a diferença nesse momento de incertezas.

Comente sobre esta matéria ;)