Osesp apresenta lado a lado ‘As Quatro Estações’

Música

OSESP APRESENTA LADO A LADO AS QUATRO ESTAÇÕES DE VIVALDI E AS QUATRO ESTAÇÕES PORTENHAS DE PIAZZOLLA 

Concertos acontecem de 22 a 24 de julho na Sala São Paulo e integram o ciclo Piazzolla 100, que celebra ao longo do ano o centenário de Astor Piazzolla; apresentação de domingo (25) no Festival de Campos do Jordão terá transmissão ao vivo 


A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Osesp realiza três concertos especiais de sua Temporada 2021 na Sala São Paulo, entre 22 e 24 de julho. Nestas apresentações, a Osesp e Emmanuele Baldini, que dirige a Orquestra e é também o solista, executam um programa que coloca lado a lado As Quatro Estações, de Antonio Vivaldi, e As Quatro Estações Portenhas, de Astor Piazzolla, esta com arranjo de Leonid Desyatnikov. O programa faz parte do ciclo Piazzolla 100, que comemora o centenário do bandoneonista e compositor argentino, completado em 11 de março de 2021. 

Cuatro Estaciones Porteñas é uma suíte de obras que Piazzolla foi construindo pouco a pouco a partir da primeira delas, Verano Porteño, que tinha sido, em meados dos anos 1960, a música de uma obra teatral. Piazzolla gravou as quatro peças juntas uma única vez, em um registro ao vivo de um concerto de seu lendário Tango Nuevo Quinteto no Teatro Regina de Buenos Aires, em 1970.  

“O ciclo das quatro estações sempre foi motivo de inspiração ao longo dos séculos. Se na música barroca As Quatro Estações de Vivaldi são sua maior expressão musical, no Classicismo temos as Estações de Haydn, no Romantismo as Estações de Tchaikovsky para piano e, mais perto da nossa época, as Estaciones Porteñas de Piazzolla. Porém, com suas Quatro Estações, Piazzolla escolhe um caminho diferente e já não faz mais um retrato de cenas ou eventos que acontecem durante as estações do ano, mas usa o tango, a milonga e as formas musicais populares de seu país para criar atmosferas muito mais latinas e nascidas na cidade de Buenos Aires, por isso o nome Estaciones Porteñas”, afirma o violinista e regente Emmanuele Baldini. 

“Mas há outro diferencial: a versão para violino e cordas que escolhi para apresentar com a Osesp, do compositor Leonid Desyatnikov, e escrita para o grande violinista Gidon Kremer, dialoga com As Quatro Estações de Vivaldi. Embora uma parte do programa tenha sido escrita durante o Barroco e outra muito mais próxima da gente, ambas conversam o tempo todo e realmente constroem um universo sem tempo, não sabemos quando estamos no Barroco, quando estamos no século XX, e nos perdemos na emoção dessa música sem tempo”, finaliza Baldini. 

No domingo, 25 de julho, a Osesp e Baldini apresentam as mesmas obras no Festival de Verão e Inverno de Campos do Jordão, desta vez com transmissão ao vivo no YouTube do Festival. Os próximos concertos da Osesp em homenagem ao centenário de Astor Piazzolla acontecem entre 29 e 31 de julho, sob regência do costa-riquenho Giancarlo Guerrero e com um programa 100% latino-americano, com a Sinfonia Buenos Aires, do mestre argentino, e obras dos compositores Roberto Sierra e Antonio Estévez. 

Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Osesp 

Criada em 1954, é uma das mais importantes orquestras da América Latina. Desde 2020, tem o suíço Thierry Fischer como Diretor Musical e Regente Titular, tendo sido precedido, de 2012 a 2019, por Marin Alsop, que agora é Regente de Honra. Em 2016, a Osesp esteve nos principais festivais da Europa e, em 2019, realizou turnê pela China. No mesmo ano, estreou projeto em parceria com o Carnegie Hall, com a Nona Sinfonia de Beethoven cantada ineditamente em português. Em 2018, a gravação das Sinfonias de Villa-Lobos, regidas por Isaac Karabtchevsky, recebeu o Grande Prêmio da Revista Concerto e o Prêmio da Música Brasileira. 

Emmanuele Baldini 

Spalla da Osesp desde 2005 e Primeiro Violino do Quarteto Osesp desde 2008, o italiano formou-se no Conservatório de Genebra, aperfeiçoando-se em Berlim e Salzburgo. Mais recentemente, sua dedicação à regência o levou a se aprimorar com Isaac Karabtchevsky e Frank Shipway. Como regente, destacam-se concertos no Teatro Colón, de Buenos Aires, no Teatro del Sodre, de Montevidéu, da própria Osesp e apresentações com as principais orquestras da América Latina. De 2017 a 2020 foi Diretor Musical da Orquestra de Câmara de Valdivia, no Chile, e é Diretor Artístico da Orquestra de Câmara Sphaera Mundi, de Porto Alegre. 


A Osesp e a Sala São Paulo são equipamentos do Governo do Estado de São Paulo, por intermédio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, gerenciadas pela Fundação Osesp, Organização Social da Cultura. 


PROGRAMA 

ORQUESTRA SINFÔNICA DO ESTADO DE SÃO PAULO – OSESP
EMMANUELE BALDINI
 REGENTE E VIOLINO
Antonio VIVALDI | As Quatro Estações, Op.8
Astor PIAZZOLLA | As Quatro Estações Portenhas [arranjo de Leonid Desyatnikov] 


SERVIÇO
22 de julho, quinta-feira, às 20h
23 de julho, sexta-feira, às 20h
24 de julho, sábado, às 16h30
[25 de julho, domingo, às 16h30 – transmissão digital]Endereço: Sala São Paulo | Praça Júlio Prestes, 16Taxa de ocupação limite: 480 lugaresRecomendação etária: 7 anos
Ingressos: Entre R$ 50,00 e R$ 100,00Bilheteria (INTI): https://osesp.byinti.com/(11) 3777-9721, de segunda a sexta, das 12h às 18h.Cartões de crédito: Visa, Mastercard, American Express e Diners.
Estacionamento: R$ 28,00 (noturno e sábado à tarde) e R$ 16,00 (sábado e domingo de manhã) | 600 vagas; 20 para portadores de necessidades especiais; 33 para idosos. 

Comente sobre esta matéria ;)