Mudança de rotina alimentar nas viagens de verão aumenta risco de diarreia

Saúde

Especialista explica que uso de probióticos, como LGG®, pode ajudar nestas situações

Viagens durante o verão mudam a rotina. E existe uma situação que pode acontecer com adultos ou crianças, que se não for a mais comum é, com certeza, uma das que mais incomodam as pessoas: a diarreia.

Segundo o pediatra Marcello Pedreira, a mudança abrupta de ambiente, incluindo a falta de higiene no preparo das refeições e o consumo de alimentos que não fazem parte do dia a dia do viajante. “Certamente, aumentam os riscos de uma infecção intestinal e muda o comportamento das bactérias normalmente presentes no trato gastrointestinal. A consequência disso é um importante desconforto já nos primeiros dias da viagem, com queixas de dor, gases, vômitos e diarreia”, explica o médico.

Outro ponto também a ser levado em consideração, segundo o médico Marcello Pedreira, é o estresse que uma viagem pode acarretar, principalmente em viagens de negócios ou em situações de grande ansiedade. Sabe-se que o estresse pode interferir no comportamento da microbiota intestinal e levar a quadros de diarreia.  “Um ponto interessante a se considerar é o uso de probióticos ao se deparar com uma situação adversa desse tipo durante uma viagem ou mesmo antes dela, caso já mostre algum sinal de desbalanço da microbiota intestinal”, orienta  Marcello Pedreira.

Probióticos são conjuntos de micro-organismos vivos que, quando ingeridos em quantidades adequadas e sob supervisão médica, trazem benefícios à saúde.

“Os probióticos são capazes de manter um equilíbrio saudável entre as bactérias e outros pequenos organismos normalmente presentes no intestino”, diz.

O médico detalha que existem dois grupos de bactérias em nosso trato gastrointestinal: aquelas com um efeito benéfico (evitando infecções, estimulando a imunidade, mantendo um bom processo de digestão) e outras com um potencial de causar doenças, caso não sejam controladas pelo primeiro grupo.

“Portanto, em situações de diarreia, onde certamente ocorreu um desequilíbrio entre esses dois grupos, o uso de um probiótico específico para restabelecer esse equilíbrio pode fazer sentido. Devemos lembrar, contudo, que nem todo probiótico tem o mesmo efeito, devendo-se buscar um com ação mais específica contra o problema que se quer combater”, fala.

Para cuidar da microbiota, pode ser adotado o consumo de suplementos probióticos, como o Lactobacillus rhamnosus GG (LGG®), de Culturelle.  O LGG® é estudado por cientistas desde 1985. Seguro para consumo de crianças e adultos, incluindo gestantes e idosos, o suplemento oferece uma série de benefícios para a saúde. Um deles é a colonização da microbiota intestinal, também conhecida como flora intestinal, que é o conjunto de trilhões de microrganismos formado por bactérias, vírus e fungos. Sua ação também está associada à prevenção da proliferação de bactérias patogênicas, que prejudicam a saúde como um todo, mas especialmente o trato gastrointestinal.

Nos últimos 20 anos, aumentou o interesse no uso de probióticos para vários problemas de saúde. Uma recente revisão de alguns estudos 1sobre o tema  aponta a eficácia de probióticos  como o  Lactobacillus rhamnosus GG para o tratamento de diarreia aguda.

Microbiotas variam

Apesar dos episódios serem mais frequentes em adolescentes e adultos jovens (dos 15 aos 30 anos), a incidência da diarreia do viajante varia muito de acordo com a história de infecções e a composição das bactérias do intestino de cada pessoa. “De fato, as microbiotas intestinais variam muito entre as famílias e os locais do mundo”, detalha o médico.

Como dica preventiva, vale ainda manter a higiene em todos os momentos de uma viagem, principalmente na hora de se alimentar. Conhecer os lugares onde vai comer, lavar as mãos, não beber água ou leite de fontes não conhecidas e evitar alimentos crus, mal cozidos ou mal conservados (legumes, frutas com casca, carnes, peixes, ovos) são algumas dicas importantes para a prevenção da diarreia.

Comente sobre esta matéria ;)