MAM celebra aniversário de SP com programação online

Aniversário de SP

O Museu de Arte Moderna de São Paulo celebra o mês de aniversário da cidade de São Paulo com uma intensa programação online voltada às famílias, professores, educadores e estudantes. Elaboradas pelo MAM Educativo, as atividades têm foco na relação do Museu com a cidade e seu entorno – o Jardim de Esculturas e o Parque Ibirapuera.

Entre os destaques da programação, está a live de lançamento do audioguia Águas do Ibirapuera, as visitas virtuais pelo Jardim das Esculturas do MAM, o encontro online O museu e a cidade: territórios de educação e patrimônio e a oficina de histórias em quadrinhos com o artista e quadrinista Tiago Judas.

Assim como em 2020, as atividades educativas do Museu irão trabalhar a intersecção das artes com eixos temáticos que fomentam uma produção cultural plural e diversa. Propostas que abarcam as culturas da infância, popular, de rua, gênero e etnias que povoam o ambiente cultural artístico do museu por meio das ações promovidas pelo MAM Educativo.

Confira a programação completa:

12 de janeiro, terça-feira, às 15h
Família MAM
Oficina de construção de satélites com Amanda Santos
Público: A partir de 4 anos, com inscrição prévia ( vagas limitadas)
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail [email protected] com até 48hs de antecedência.

Entre pinturas que lembram a imagem de céus estrelados e viagens pelo universo, o artista Antonio Dias se apropriou de objetos do dia a dia para criar “Satélites”, que hoje orbitam sua exposição em cartaz no MAM São Paulo. Inspirada por sua obra, esta oficina online propõe a construção de objetos espaciais voadores com diversos materiais recicláveis.

Lista de materiais:
• Materiais recicláveis e bugigangas diversas;
• Caixinha pequena, como a de remédio;
• Papéis coloridos;
• Tesoura;
• Cola e/ou fitas adesivas;
• Materiais para colorir: lápis de cor, canetinha, giz, etc;
• Barbante.

Amanda Santos é designer e artista visual. Tecnóloga em Design Gráfico pela Universidade de Mogi das Cruzes, possui Licenciatura em Artes Visuais pela Faculdade Paulista de Artes. Atua como educadora no MAM São Paulo e, entre suas áreas de interesse e pesquisa, coexistem questões relativas à arte contemporânea, ao design e à educação.

13 de janeiro, quarta-feira
Programa de Visitação
Post no Instagram do MAM ( @mamoficial ) de Experiência Poética

Todo mês, o MAM Educativo propõe nas redes sociais do museu experiências práticas que abarcam o universo artístico do museu, do seu acervo, exposições, artistas e da arte.

13 de janeiro, quarta-feira às 15h
Família MAM
Visita virtual ao Jardim de Esculturas para família
Público: A partir de 4 anos, com inscrição prévia ( vagas limitadas)
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail [email protected] com até 48hs de antecedência.

Nesta experiência, é realizado um percurso virtual pelo Jardim de Esculturas, desvendando sua história e descobrindo diferentes formas de ver e perceber as suas obras. O Jardim de Esculturas é o acervo permanente a céu aberto do MAM São Paulo. Sua importância perpassa décadas de aprendizado sobre conservação, mediação no espaço público e ocupação do parque.

14 de janeiro, quinta-feira às 15h
Família MAM
Entre tramas e fios: narrativa interativa com Mirela Estelles e Amanda Falcão
Público: A partir de 4 anos, com inscrição prévia ( vagas limitadas)
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail [email protected] com até 48hs de antecedência.

Assim como os contos e as histórias, os trabalhos manuais estão presentes em nossa sociedade há milhares de anos, costurando fios entre gerações. Nesse encontro, a proposta é a interação entre as duas tramas: tecer a narração de uma história com a construção de um mini tear.

Lista de materiais:
• Papelão (aproximadamente do tamanho 20 x 20 cm);
• Régua;
• Tesoura;
• Barbante, linhas e lãs coloridas diversas;
• Fita crepe ou fita adesiva.

Mirela Estelles é educadora e contadora de histórias, formada em Comunicação das Artes do Corpo pela PUC-SP e pós-graduada em Linguagens da Arte no CEUMA, Centro Universitário Maria Antônia. Desde 2003 atua como educadora e contadora de histórias em escolas, livrarias, bibliotecas, museus e espaços culturais. É educadora formadora do setor Educativo do MAM São Paulo desde 2009. Idealizadora e realizadora da Semana da Cultura Tradicional da Infância e das narrações simultâneas, em português e Libras (língua brasileira de sinais).

Amanda Harumi Falcão é artista visual e arte educadora, formada em bacharelado de Artes Visuais e licenciando Artes no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Já atuou em educativos de instituições culturais como Sesc Pompeia e Sesc 24 de Maio, e atualmente faz parte do educativo do MAM São Paulo. Em suas pesquisas, busca costurar a relação entre memória e o fazer artesanal, como também investigar os processos sutis e interdisciplinares na mediação cultural e arte educação.

15 de janeiro, sexta-feira às 15h
Família MAM
Oficina de histórias em quadrinhos com Tiago Judas
Público: A partir de 4 anos, com inscrição prévia vagas limitadas)
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail [email protected] com até 48hs de antecedência

Imagens e palavras em sequência: desenhando para contar histórias. A oficina propõe experimentações com desenho que estruturam histórias em quadrinhos conduzidas pelo artista Tiago Judas.

Lista de materiais:
• Lápis (6B de preferência);
• Borracha;
• Papel sulfite;
• Caneta preta para contorno;
• Régua;
• Caneta corretivo ou posca branca;
• Materiais para colorir : aquarela, lápis de cor, canetinha, etc.

Tiago Judas é bacharel e licenciado em artes plásticas. Desenvolve uma produção artística que inclui desenhos, objetos e vídeos, além de histórias em quadrinhos. Trabalha como ilustrador autônomo para jornais, revistas e editoras de livros, além de ministrar cursos e oficinas desde 2001 em centros culturais como o Sesc, MIS SP, Paço das Artes, MAM São Paulo e Fábricas de Cultura. Desde 2000, expõe seus trabalhos em importantes instituições culturais brasileiras e em países como Alemanha, Áustria, Espanha, EUA e Peru. Em 2007, foi contemplado com o Prêmio Aquisição do 14º Salão da Bahia (Salvador, BA, Brasil). Em 2016, lançou o livro de história em quadrinhos HÍDRICO pela Editora Veneta.

19 de janeiro, terça-feira às 16h
Domingo MAM + Arte e Ecologia
Live de lançamento do audioguia Águas do Ibirapuera
Youtube do MAM São Paulo – Acessível em Libras

Nesta live, integrantes do Rios e Ruas, que dão vozes ao audioguia Águas do Ibirapuera, conversam com o MAM E ducativo sobre o seu processo criativo e as pesquisas envolvidas no projeto.

O audioguia Águas do Ibirapuera, disponível gratuitamente no site e YouTube do museu, conta um pouco da história das águas que envolvem o Parque Ibirapuera. Cada faixa é acompanhada por um mapa que destaca pontos do Parque do Ibirapuera, com ênfase nos rios Sapateiro e Caaguaçu. Também são apresentadas informações sobre outras bacias hidrográficas da cidade e como elas estão relacionadas.

Para a confecção foi realizada uma pesquisa sobre os temas relacionados à bacia do córrego Sapateiro, tema que vem sendo trabalhado pelo Rios e Ruas há mais de 10 anos, em parceria com o Estúdio Laborg, responsável pela direção e produção do projeto. Em complemento a esses conteúdos, foram realizadas novas pesquisas sobre a criação, implantação e desenvolvimento do Parque do Ibirapuera.

Este projeto faz parte de um eixo temático do MAM E ducativo chamado Arte e Ecologia, que pensa a arte contemporânea enquanto uma área interdisciplinar do conhecimento, onde as relações entre arte e vida não são apenas o ponto de partida para a reflexão e práticas artísticas, como também lugar de encontro e troca de saberes e experiências entre o museu e a cidade, público e artista, professores e alunos.

Rios & Ruas é uma iniciativa criada em 2010 por José Bueno, arquiteto e mestre em Aikido, e Luiz de Campos, geógrafo, professor e pesquisador da temática dos rios urbanos, que oferece ações que integram conhecimento e experiências para sensibilizar pessoas a respeito da realidade dos rios esquecidos pela cidade. São Paulo, por exemplo, esconde centenas de rios sob suas ruas, soterrados e poluídos, mas vivos. Conversas e conexão física e emocional com os rios – soterrados ou não – é a origem e o coração da iniciativa, que segue seu fluxo promovendo e inspirando múltiplas ações para que milhões de pessoas descubram, vejam e queiram os rios limpos e livres.

20 de janeiro, quarta-feira às 15h
Família MAM
Visita virtual ao Jardim de Esculturas para família
Público: A partir de 4 anos, com inscrição prévia ( vagas limitadas)
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail [email protected] com até 48hs de antecedência.

Nesta proposta, é realizado um percurso virtual pelo Jardim de Esculturas, desvendando sua história e descobrindo diferentes formas de ver e perceber as suas obras. O Jardim de Esculturas é o acervo permanente a céu aberto do MAM São Paulo. Sua importância perpassa décadas de aprendizado sobre conservação, mediação no espaço público e ocupação do parque.

21 de janeiro, quinta-feira às 16h
Contatos com a arte
Criação com coletivos heterogêneos, conversa com Elisa Band
Público: Professores, educadores e estudantes, com inscrição prévia ( vagas limitadas)
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail [email protected] com até 48hs de antecedência.

Este encontro propõe o compartilhamento de diferentes procedimentos de criação cênica, elaborados a partir da experiência com coletivos teatrais compostos por pessoas com diferentes corpos, idades, formações e experiências de vida. Abordando exercícios e práticas por meio de estudos de caso, e de reflexões e diálogos com artistas e teóricos de diferentes áreas, como pedagogia, estética, clínica e filosofia, o curso analisa como as singularidades de diferentes modos de existência podem instaurar uma linguagem própria na criação de uma cena.

Elisa Band é performer, encenadora e pesquisadora. Formada em Artes Cênicas na Unicamp em 1998, foi uma das fundadoras do grupo K, dirigido por Renato Cohen. De 2007 a 2012 foi co-diretora e dramaturga da Cia Ueinzz. Em 2014 e 2015 foi diretora do Grupo de Estudos e Criação em Performance. Em 2015 publicou o livro de contos “Perecíveis”, Ed. Lamparina Luminosa. Desde 2011 é professora do curso de performance do MAM São Paulo, dentro do programa Igual Diferente. Desde 2016 é diretora de Teatro da ONG Ser em Cena. Em 2020 se tornou mestra na Escola de Comunicações da USP, na área de Teoria e Prática do Teatro.

22 de janeiro, sexta-feira às 16h
Contatos com a arte
Fotografia do isolamento: possibilidades e desdobramentos artísticos com Laysa Elias
Público: Professores, educadores e estudantes, com inscrição prévia ( vagas limitadas)
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail [email protected] com até 48hs de antecedência.

Este encontro aborda as experiências de criação imagética em tempos de isolamento social, tendo como ponto de partida uma seleção de obras da exposição Clube de colecionadores de fotografia do MAM – 20 anos .

Laysa Elias é educadora, cineasta e fotógrafa, formada em cinema pelo Centro Universitário Senac e em técnica fotográfica pela Escola Panamericana de Artes e Design. Assina o curta-metragem documental “Do Portão Pra Fora”, exibido em festivais de cinema como Kinoforum e Visões Periféricas, e desde 2016 atua no MAM São Paulo como educadora, responsável pela área de Difusão e Produção Audiovisual do setor educativo.

26 de janeiro, terça-feira às 15h
Família MAM
Visita virtual ao Jardim de Esculturas para família
Público: A partir de 4 anos, com inscrição prévia ( vagas limitadas)
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail [email protected] com até 48hs de antecedência.

Nesta proposta, é realizado um percurso virtual pelo Jardim de Esculturas, desvendando sua história e descobrindo diferentes formas de ver e perceber as suas obras. O Jardim de Esculturas é o acervo permanente a céu aberto do MAM São Paulo. Sua importância perpassa décadas de aprendizado sobre conservação, mediação no espaço público e ocupação do parque.

27 de janeiro, quarta-feira às 16h
Contatos com a arte
O museu e a cidade: territórios de educação e patrimônio com Vanessa Lima
Público: Professores, educadores e estudantes, com inscrição prévia ( vagas limitadas)
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail [email protected] com até 48hs de antecedência.

Este encontro convida o público a olhar para a cidade a partir dos seus monumentos. Serão abordadas dimensões da(s) memória(s) enquanto construção de símbolos, traçando relações com territórios da cidade e artistas visuais que trabalham a partir de poéticas da memória e do esquecimento.

Vanessa Lima é educadora e historiadora. Desenvolve projetos na área de mediação cultural em diferentes museus e instituições culturais. Com formação em História, propõe na sua produção dispositivos de mediação que ampliam o debate sobre Patrimônio Cultural. Nas suas pesquisas, visitas e caminhadas pela cidade, investiga processos de (des)construção da(s) memória(s). Atualmente desenvolve em co-autoria o livro: Caminhando a paulista: manual do pequeno historiador da cidade.

28 de janeiro, quinta-feira às 14h30
Contatos com a arte | Apoio Itaú Cultural
Afinando os sentidos: ler e escrever imagens para recontar o mundo com Marie Ange Bordas
Público: Professores, educadores e estudantes, com inscrição prévia ( vagas limitadas)
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail [email protected] com até 48hs de antecedência.

Vivemos em um mundo de imagens que vendem, entretêm e informam, mas que também difundem conceitos e comportamentos e impõem representações culturais. Este encontro propõe discutir possibilidades de utilização da linguagem visual como ferramenta criativa e crítica em projetos socioeducativos, de promoção da leitura e em sala de aula, e também discutir alguns fundamentos da alfabetização visual. A proposta foi desenhada a partir da apresentação de alguns projetos artísticos/educativos desenvolvidos pela autora com jovens e crianças vivendo em zonas de conflito em diversos países e em comunidades tradicionais brasileiras.

Marie Ange Bordas é artista multimídia, escritora e mediadora cultural. Desde 2001, percorre o mundo desenvolvendo projetos participativos de arte e mídia e formações para educadores. Seu trabalho se baseia numa metodologia dialógica e lúdica inspirada na práxis artística e na convivência, enfatizando o cruzamento de linguagens para construir processos críticos e obras colaborativas a partir dos contextos, saberes e fazeres locais.

Sobre o MAM São Paulo

Fundado em 1948, o Museu de Arte Moderna de São Paulo é uma sociedade civil de interesse público, sem fins lucrativos. Sua coleção conta com mais de 5 mil obras produzidas pelos mais representativos nomes da arte moderna e contemporânea, principalmente brasileira. Tanto o acervo quanto as exposições privilegiam o experimentalismo, abrindo-se para a pluralidade da produção artística mundial e a diversidade de interesses das sociedades contemporâneas.

O Museu mantém uma ampla grade de atividades que inclui cursos, seminários, palestras, performances, espetáculos musicais, sessões de vídeo e práticas artísticas. O conteúdo das exposições e das atividades é acessível a todos os públicos por meio de áudio-guias, vídeo-guias e tradução para a língua brasileira de sinais. O acervo de livros, periódicos, documentos e material audiovisual é formado por 65 mil títulos. O intercâmbio com bibliotecas de museus de vários países mantém o acervo vivo.

Localizado no Parque Ibirapuera, a mais importante área verde de São Paulo, o edifício do MAM foi adaptado por Lina Bo Bardi e conta, além das salas de exposição, com ateliê, biblioteca, auditório, restaurante e uma loja onde os visitantes encontram produtos de design, livros de arte e uma linha de objetos com a marca MAM. Os espaços do Museu se integram visualmente ao Jardim de Esculturas, projetado por Roberto Burle Marx para abrigar obras da coleção. Todas as dependências são acessíveis a visitantes com necessidades especiais.

Comente sobre esta matéria ;)