Ford apoia empreendedorismo social no evento nacional Enactus Brasil 2018

Cidade

FORD APOIA EMPREENDEDORISMO SOCIAL NO EVENTO NACIONAL ENACTUS BRASIL 2018

         

O que a geração de energia em uma comunidade quilombola, um software de aprendizagem individual e o processamento de alimentos saudáveis podem ter em comum? O empreendedorismo social. Essas e outras ideias inovadoras apoiadas pelo Ford Fund, braço filantrópico da Ford, serão apresentadas durante a 18ª edição do Evento Nacional Enactus Brasil 2018, maior experiência de empreendedorismo social da América Latina que ocorre em Fortaleza, no Ceará, entre os dias 18 e 20 de julho.

O encontro reunirá mais de 2 mil universitários envolvidos em projetos sociais no país. Este ano, o tema do evento será “Nossa beleza está em nossas diferenças”, que vai colocar em pauta a diversidade de forma ampla e inclusiva. A programação conta também com o Campeonato Nacional, no qual 56 equipes apresentam os projetos que desenvolveram e seu impacto positivo em comunidades carentes por meio de ações empreendedoras. No total são 164 iniciativas que competem por uma vaga no Campeonato Internacional, promovido em outubro, no Vale do Silício, EUA. A Ford e a Troller terão representantes que farão parte dessa banca de juízes da competição nacional.

O Ford Fund, braço filantrópico da Ford, apoiou quatro dessas equipes, que foram selecionadas pelo projeto “Ford College Community Challenge” (Ford C3) ereceberam US$ 5 mil cada. Com o tema “Construindo Comunidades Sustentáveis”, o Ford C3 desafia os estudantes a utilizarem ações empreendedoras para encontrar formas inovadoras, criativas e únicas de solucionar uma necessidade específica e urgente em uma comunidade local, empoderando-a para que seja mais sustentável para trabalhar e viver.

 “Estamos muito felizes por mais um ano de parceria com a Enactus, incentivando o empreendedorismo social entre jovens e universitários que impactam positivamente as comunidades em que estão inseridos. A estratégia de Responsabilidade Social da Ford tem como pilares a educação e o desenvolvimento de comunidades sustentáveis, totalmente alinhados com a proposta da institução”, explica Roberta Madke, gerente de Comunicação Corporativa e Responsabilidade Social da Ford América do Sul.

Nos últimos dez anos, o Ford Motor Company Fund concedeu mais de US$ 2,6 milhões para universitários de todo o mundo por meio do Ford College Community Challenge. Neste ano, a parceria trará esta oportunidade aos times da Enactus em países como Brasil, Alemanha, Gana, Quênia, México, Marrocos, África do Sul e Reino Unido.

Projetos selecionados

Entre os trabalhos selecionados está o AlphaTech, da Universidade Federal do ABC (UFABC), de Santo André (SP), cujo foco é transformar o sistema de educação pública brasileira. O objetivo é desenvolver um software orientado para a aprendizagem individualizada, que melhora o processo de alfabetização de crianças na escola primária. Essa plataforma é baseada em jogos interativos e será executada, inicialmente, em todas as escolas públicas localizadas nas cidades de Santo André e São Bernardo do Campo, estabelecendo relações básicas entre as palavras e sua representação visual e auditiva.

O projeto Amana Katu, da Universidade Federal do Pará (UFPA), de Belém (PA) tem como objetivo construir sistemas de coleta de água da chuva para agricultura,residências urbanas e educação empresarial.  Os minissistemas de coleta de águas pluviais custam cerca de US$ 70 cada e foram adaptados para casas onde o espaço é limitado, permitindo que a mesma seja coletada, purificada, armazenada e consumida. O segundo produto é um sistema de irrigação por gotejamento ligado a um kit híbrido de coleta de águas pluviais. Diferente das tecnologias convencionais, a novidade usa até 95% menos água e economiza 15% mais, se comparado a outros processos semelhantes.

O projeto Quilombos de Barra do Turvo, da Universidade Metodista de São Paulo, trata da construção de um galpão e de um biodigestor para que a comunidade Ribeirão Grande Quilombola, em Barra do Turvo (SP), possa aumentar a produção e comercialização de açúcar mascavo, gerando aumento na renda. Atualmente, a comunidade tem grande capacidade de produzir cana-de-açúcar, mas o produto ainda não é vendido, sendo consumido apenas internamente. Nesse caso, o sistema biodigestor permitirá que eles gerem sua própria energia com os resíduos proeminentes da cana e da produção de açúcar mascavo.

Os alunos da Universidade Estadual Vale do Acaraú, de Sobral (CE), apresentam o projeto Sertão Sustentável, que trabalha com o desenvolvimento da comunidade em três eixos principais: alimentação saudável (por meio do processamento de alimentos para a fabricação de polpas e biscoitos); sustentabilidade (com ênfase no desenvolvimento de bioprotetores e no tratamento de reuso de solo, lixo e água); e empreendedorismo (com foco na modelagem de negócios e no conceito de finanças básicas). Algumas ações incluem a implantação de um sistema de captação e filtragem de águas pluviais; a substituição dos pontos de queima de lixo por um sistema que coleta e embala o resíduo e a construção de um sistema de irrigação por gotejamento para a produção de vegetais.

Comente sobre esta matéria ;)