Circulação da Alegria – alegria e diversão gratuita na Lapa

Cidade

A Lapa se tornou uma região de intensa programação cultural. O poder público identificou a necessidade de investir nessa região e a população têm visto o resultado em ruas, praças e escolas. Um desses projetos foi o Circulação da Alegria, que aconteceu de janeiro a março de 2019, recorrente de recursos oriundos de emenda parlamentar de autoria da Vereadora Soninha Francine. Nesta circulação foram realizadas diversas atividades, aproximando da Cultura a população carente que habita a Lapa e regiões próximas, através de apresentações que contaram com grupos como o Circo Dux, a Cia Moscas Volantes & Arenques Voadores e Cia Palhaços Sem Fronteiras.

Tendal da Lapa, Terminal da Lapa e Escola Ragacionista foram alguns dos espaços que receberam o espetáculo Forfé, da Cia Moscas Volantes & Arenques Voadores. Eles apresentaram um espetáculo recheado de malabares, equilíbrio de pratos e monociclo. Nélson do Bigodinho, um esperto palhaço, mostrou que gosta mesmo é de estar com o público e de ouvir a plateia gargalhar!!! Nesse espetáculo, o palhaço fanfarrão levou sua mala de esquetes clássicos e originais e uma boa dose de improviso para divertir a todos, transformando o público em artista e o artista em público.

O grupo carioca Circo Dux também contribuiu levando sua irreverência para Praças e escolas municipais. O espetáculo Mix Dux divertiu a todos com uma seleção dos melhores números do repertório da companhia, lapidados ao longo de diversas apresentações. Não faltaram gargalhadas nas apresentações realizadas na Praça Cornélia, Praça Porto Carreiro, EMEI Dona Leopoldina e EMEI Ricardo Gonçalves. Já a Sociedade Benfeitora Jaguaré e o Mercado Municipal da Lapa receberam a Cia Palhaços sem Fronteiras, que apresentou o espetáculo de variedades A Alegria Contra Ataca. O projeto combina diversão e comicidade por meio de números de malabares, equilíbrio bambolê e palhaçaria, e já foi apresentado em diversos países.

Além dos espetáculos, os moradores da região também puderam conhecer o Casulo Viajante. Este projeto literário é caracterizado como um motor-home que faz o leitor se sentir em casa. Ao abrir a gelateca, todos se alimentavam de poesias. Na sala, literatura do mundo inteiro. Na varanda, aconchegados em uma colcha de retalhos, o leitor viajou para o universo que escolheu: contos populares, literatura de cordel (no varal, é claro), contos de fadas, contos contemporâneos e mitologias. Esta atividade foi apresentada na Escola Rogacionista, na Praça Cornélia, no Terminal da Lapa, na Comunidade Água Branca e no Centro da Memória Cecilia Meireles.

Entre alunos e público espontâneo, o projeto atingiu aproximadamente 8.000 pessoas. Este número só demonstra o interesse e a carência da população em ter acesso a mais atividades culturais gratuitas. Agora é torcer para que outros políticos façam como a Vereadora Soninha Francine, e abram os olhos para a Cultura, investindo mais e mais em ações que contribuam para a formação cultural da população paulistana.

Comente sobre esta matéria ;)