Bottas e Mercedes dominam os treinos livres com os pneus macios em uma Sochi particularmente escorregadia

Esportes

RESUMO DOS PNEUS DE SEXTA-FEIRA

  • Como o circuito de Sochi estava sem ser usado há algum tempo e não temos a Fórmula 3 neste fim de semana, o asfalto estava extremamente “verde” e escorregadio, tendo um grande grau de evolução da pista mesmo com ventos variáveis. Como resultado, os pilotos lutaram para manter a aderência.
  • A alta evolução da pista significou que os tempos melhoraram durante as condições mais quentes da tarde, com o piloto da Mercedes, Valtteri Bottas, sendo o mais rápido em ambas as sessões usando o pneu macio P Zero vermelho em cada ocasião (o C5, que é o mais macio de toda a gama Pirelli F1). A nomeação para a Rússia este ano é um nível mais macia do que os pneus escolhidos para 2019.
  • O piloto da Renault, Daniel Ricciardo, mostrou forte desempenho em ambas as sessões com pneus macios, terminando em segundo no TL1 e em terceiro no TL2.
  • Pelos dados obtidos até agora, a Mercedes (que venceu o Grande Prêmio da Rússia todas as vezes desde a sua inauguração, em 2014) parece ter uma vantagem de ritmo considerável, o que pode permitir que eles classifiquem com o pneu médio amarelo amanhã.
  • Os dados de hoje indicam um intervalo de desempenho de cerca de 0s7 entre o macio e o médio e 0s6 entre o médio e o duro.

MARIO ISOLA – GERENTE MUNDIAL DE MOTORSPORT DA PIRELLI

“Não vimos nenhuma surpresa particular no dia de hoje. Dado que a pista não é utilizada há muito tempo e a Fórmula 2 é o único evento de apoio, havia baixa aderência, com um grande grau de evolução da pista. Esperamos que continue ao longo de amanhã, à medida que mais borracha for colocada na pista. Este ano estamos trazendo pneus mais macios do que anteriormente, o que obviamente significa que os pilotos precisam controlar seu ritmo com mais cuidado nos trechos mais longos. Como esperado, houve alto desgaste no composto macio, com algumas bolhas sendo observadas no dianteiro esquerdo. Atrás da Mercedes, que foram particularmente impressionantes nos compostos mais duros, o ritmo parece estar muito próximo e as lacunas de desempenho entre os compostos sugerem que muitas estratégias diferentes são possíveis. Essas estratégias, é claro, começam na classificação de amanhã: será interessante ver quais equipes se sentem confiantes para passar o Q2 com o composto médio”.

Comente sobre esta matéria ;)